Pular para o conteúdo principal

Diário de Viagem- Jardim Botânico de Curitiba/PR


  Um dos locais mais falados e comentados de nosso país, especialmente quando se fala do estado do Paraná, sem dúvidas é o Jardim Botânico de Curitiba/PR.

Bom, claro que na minha vida a capital paranaense eu não podia deixar de visitar este local, pois um bom turismólogo é também um bom turista e, assim, fui-me aventurar pelos atrativos curitibanos.
Como bom universitário (quebrado) eu vim a Curitiba e usei a Hospedagem Solidária que o evento proporcionou.  Assim, na manha de sábado (hoje) coloquei em minha mente que iria ao Jardim Botânico e, como não conheço muita gente aqui e, os que conheço não puderam ir comigo, lá fui eu me aventurar.
Entrei no Google (saudoso e salvador) e vi quais eram os pontos de ônibus que serviam o atrativo, ai peguei o famoso ônibus tubo (falarei mais deles em outros posts) sentido Centenário, ai foi fácil, desci na estação Jardim Botânico, andei um tiquinho e já estava no complexo.
No ônibus, indo para o Jardim me veio a ideia que eu era o único que ia pra la, porque ao chegar na rodoviária quase todos desceram e posteriormente o ônibus foi se esvaziando. Mas, ilusão essa minha de não ir ninguém se destruiu ao chegar perto da estufa e ver um número considerável de gente no Jardim.
Lá do alto via as pessoas tirando fotos, delas e de outras pessoas, um mar de paus de selfies, um monte de braços esticados para tirar autofotos, gente fazendo pose, fotógrafos realizando ensaios, enfim, fotos e mais fotos (claro que eu também tirei fotos, afinal, é Curitiba J).
Ao caminhar até a estufa fui parado, não um, mais duas vezes por turistas pedindo que eu tirasse fotos deles, assim o fiz. O engraçado é andar e ver os diferentes sotaques e, o mais interessante é tentar decodificar os diferentes idiomas em um único ambiente.
Assim, visitei todas as instalações é bem legal e bem diferente. A imagem que temos do Jardim Botânico é só um pouco engrandecida, pois a estufa do Jardim não é tão grande assim, mas, não deixa de ser encantadora.
O acesso é gratuito, gastei apenas R$: 3,70 na passagem do ônibus (acredito que eu seja um dos poucos que veio de ônibus kkk). Mas, vale a experiência, pois mesmo com frio e dia nublado, eu vi muita gente praticando exercícios e tirando algumas de sua inúmeras peças de roupa só para sair em uma foto (rsrsrs).

Enfim, vale a viagem, conheçam o ícone Curitibano!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nicarágua, um paraíso natural

ORIGEM DO NOME, Nicarágua A origem do nome é incerta, já que o país não conta com um registro indígena, podendo-se recorrer somente às crônicas dos primeiros espanhóis. Nessas crônicas fala-se sobre o povo náhuatl que viviam entre o grande lago (chamado de Nicarágua posteriormente) e o Oceano Pacífico; a esta terra eles davam o nome de nic–atl-nahauc que significa "aqui junto a água".



LOCALIZAÇÃO A Nicarágua é um país da América Central, limitado ao norte pelo Golfo de Fonseca (através do qual faz fronteira com El Salvador), Honduras, a leste pelo Mar das Caraíbas, através do qual faz fronteira com o território colombiano de San Andrés e Providencia, a sul com a Costa Rica e a oeste com o Oceano Pacífico. Sua capital é Manágua. TOP 8 CURIOSIDADES -1ª Que futebol que nada! O esporte mais popular da Nicarágua é o beisebol. -2º A bebida típica é o pinolillo, uma bebida feita com milho, cacau, canela e outros ingredientes - 3º No total, a Nicarágua possui nove grandes lagos. Não é sem …

O que fazer depois que acabar a faculdade? Bacharel em Turismo

Após os três, quatro ou cinco anos de faculdade é natural que muitos ainda se perguntem o que vão fazer depois da faculdade, essa pergunta não é privilégio apenas dos futuros turismólogos, muitos e muitos outros futuros profissionais se fazem o mesmo questionamento. Mas falando dos futuros turismólogos, ao longo do curso a grade oferece uma serie de conhecimentos multidisciplinares que possuem o intuito de capacitar o profissional para os diversos meios de atuação do turismólogo. Mas a problemática se insere neste contexto. Algumas profissões como, por exemplo, licenciatura em Matemática, ou você ministra aulas ou vira pesquisador, são apenas duas opções (ou mais), de certa forma fica mais fácil de decidir, assim como biomedicina, ou você trabalha em um laboratório de analises clinicas, ou se torna professor ou se torna pesquisador. Já no turismo a realidade é inversa, em síntese temos os seguintes campos de atuação, cruzeiros, agencias de viagens, docente, poder publico, eventos, hotela…

O Folclore e o Turismo

Mas o que significa e o que é Folclore? Folclore é o conjunto de crenças, superstições, lendas, festas e costumes de um povo passado de geração em geração. A palavra Folclore vem do inglês pela junção das palavras folk (povo) e lore(sabedoria popular) significando sabedoria do povo. O Folclore no Brasil só começou a receber atenção da elite na metade do século XIX, durante o Romantismo. Naquela época, a cultura popular crescia na Europa e Estados Unidos e, baseados nesse interesse, estudiosos brasileiros como Celso de Magalhães e Sílvio Romero pesquisaram as manifestações folclóricas nativas e publicaram estudos. (FOLCLORE, 2010) Você sabia que o Folclore é protegido por lei? Isso mesmo, de acordo com a Constituição Federal de 1988, nos artigos 216 e 215, que relatam sobre o patrimônio cultural brasileiro: “os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasilei…