quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Os encantos e desencantos na profissão do Turismólogo

Imagem Retirada da Internet
Se você já ouviu aquele discurso de que o turismo é uma fonte estrondosa para o desenvolvimento econômico, cultural e social de uma localidade, mas que as pessoas não valorizam os turismólogos. Puxa uma cadeira, vamos conversar!
Acho que já me apaixonei e me desencantei pela profissão de turismólogo mais vezes do que eu posso contar. Mas, sempre sei que depois da tempestade volto a me apaixonar pelo caminho tortuoso e florescente que escolhi.
O turismo é assim, você tem certeza que você está no caminho certo, no seu emprego você está conseguindo pequenas vitórias, mas sempre vem alguém que não sabe nada da área, ou acha que fazer turismo é só fazer eventos e, destrói todo seu castelo de areia.
Faz parte, faz, mas dói. E em falar profissão doida é essa a nossa hein! Estamos de parabéns!
Entre dores e amores vamos nos tornando mais fortes e, por incrível que pareça, é quando a gente quebra a cara que a gente consegue ver o quão importante o turismólogo é para o planejamento e desenvolvimento do turismo. Tem algumas situações, principalmente nas pastas públicas, que você enquanto profissional do turismo, sabe que o que estão fazendo estão completamente errados, mas ninguém te escuta.
Sim meu amigo (a), eu sei o quanto é ruim quando não te escutam ou te obrigam a fazer o que você não gosta. Sei que você morre por dentro, tem vontade de rasgar seu diploma, pular na frente do próximo ônibus e nem voltar no outro dia.
Contudo, talvez seja muita pretensão minha, mas eu acho que um dia, as instituições vão perder tanto dinheiro por falta de visão estratégica e planejamento turístico que eles vão começar a nos enxergar como capazes. Aqui no estado de São Paulo este dia tem até número, Lei 1.261/15.
Enquanto esse dia não chega, a gente fica aqui, nos qualificando, lutando, chorando, se encantado pelas pequenas conquistas e se mantendo firme naquilo que um dia escolhemos para nos fazer feliz!


Ps: Amo minha profissão e, mesmo com tantas dificuldades, não escolheria outra.