Pular para o conteúdo principal

Frustrações de um Estudante de Turismo

Escolher a profissão ideal é algo realmente muito difícil, ainda mais se for à primeira escolha. Acredito que relato um sentimento próprio e um sentimento de inúmeras pessoas, quando afirmo que escolher algo que refletirá nos seus próximos anos é algo realmente perturbador.
A Liberdade Expressiva.
Colagem em Papel Cartão.
Não vou procurar abordar o universo da escolha da profissão neste texto, mas sim abordarei a escolha de uma profissão específica, a do Turismólogo.
Profissão essa recente na sociedade contemporânea, com um reconhecimento bem recente e sem regulamentação. Profissão, que muito se fala na sua importância para o planejamento do turismo em todas as suas modalidades, e, além disso, a ciência que estuda o fenômeno do turismo. Teoricamente falando, temos muito campo de atuação e mercado para suprir a mão de obra gerada, mas só teoricamente (ou talvez não).
Quando se entra no curso de bacharel em turismo, um novo mundo renasce, pelas palavras de nossos professores somos embalados a sonhar com um futuro próspero e digno do nosso esforço de mais de 4 anos de faculdade.
Contudo, além do fato de existir pouca informação sobre a profissão na internet, e as que existem são pouco embasadoras e fazem referencia ao meio teórico, e por sua vez, as que retratam o meio prático da profissão são desmotivadoras.
A desmotivação é gerada nas informações errôneas veiculadas na internet, o desconhecimento da população sobre o papel do turismólogo, e por ultimo, mas de suma importância, a difamação e as experiências contadas por profissionais que já são formados em turismo.
Esses profissionais, em sua maioria, profanam coisas que são capazes de fazer qualquer um largar o curso de turismo. Para se ter uma ideia, eles dizem que a área não possui campo de trabalho, que não somos regulamentados e que eles estariam felizes se não tivessem feito turismo, em parte não estão errados.
Mas sem sombra de dúvidas não é possível ter animo para cursar turismo após o relato deles.
Contudo, acredito eu, e afirmo isso todo dia para continuar nesta jornada, que o nosso futuro somos nós que fazemos. Se não somos regulamentados, não temos salário digno e campo de trabalho, isso é um problema da categoria em um todo e, cabe ao todo lutar para mudar essa realidade, mas se o todo não coopera, cabe a você mudar o seu destino.
Mudar o destino é simplesmente criar as oportunidades, se engajar, procurar reinventar e se inserir no mercado de trabalho. Se ficarmos em casa reclamando ou desistir na primeira barreira, nunca vamos conseguir nada. E no meu ponto de vista é isso que ocorre com a maioria dos turismólogos, a acomodação, ou simplesmente, esperar que o outro lute e faça por você.

Se pudesse dar um conselho, falaria- Não seja mais um acomodado, não seja mais um ser envolvido pela inércia e alienado, mude o seu “hoje” para que o “amanha” seja diferente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nicarágua, um paraíso natural

ORIGEM DO NOME, Nicarágua A origem do nome é incerta, já que o país não conta com um registro indígena, podendo-se recorrer somente às crônicas dos primeiros espanhóis. Nessas crônicas fala-se sobre o povo náhuatl que viviam entre o grande lago (chamado de Nicarágua posteriormente) e o Oceano Pacífico; a esta terra eles davam o nome de nic–atl-nahauc que significa "aqui junto a água".



LOCALIZAÇÃO A Nicarágua é um país da América Central, limitado ao norte pelo Golfo de Fonseca (através do qual faz fronteira com El Salvador), Honduras, a leste pelo Mar das Caraíbas, através do qual faz fronteira com o território colombiano de San Andrés e Providencia, a sul com a Costa Rica e a oeste com o Oceano Pacífico. Sua capital é Manágua. TOP 8 CURIOSIDADES -1ª Que futebol que nada! O esporte mais popular da Nicarágua é o beisebol. -2º A bebida típica é o pinolillo, uma bebida feita com milho, cacau, canela e outros ingredientes - 3º No total, a Nicarágua possui nove grandes lagos. Não é sem …

O que fazer depois que acabar a faculdade? Bacharel em Turismo

Após os três, quatro ou cinco anos de faculdade é natural que muitos ainda se perguntem o que vão fazer depois da faculdade, essa pergunta não é privilégio apenas dos futuros turismólogos, muitos e muitos outros futuros profissionais se fazem o mesmo questionamento. Mas falando dos futuros turismólogos, ao longo do curso a grade oferece uma serie de conhecimentos multidisciplinares que possuem o intuito de capacitar o profissional para os diversos meios de atuação do turismólogo. Mas a problemática se insere neste contexto. Algumas profissões como, por exemplo, licenciatura em Matemática, ou você ministra aulas ou vira pesquisador, são apenas duas opções (ou mais), de certa forma fica mais fácil de decidir, assim como biomedicina, ou você trabalha em um laboratório de analises clinicas, ou se torna professor ou se torna pesquisador. Já no turismo a realidade é inversa, em síntese temos os seguintes campos de atuação, cruzeiros, agencias de viagens, docente, poder publico, eventos, hotela…

O Folclore e o Turismo

Mas o que significa e o que é Folclore? Folclore é o conjunto de crenças, superstições, lendas, festas e costumes de um povo passado de geração em geração. A palavra Folclore vem do inglês pela junção das palavras folk (povo) e lore(sabedoria popular) significando sabedoria do povo. O Folclore no Brasil só começou a receber atenção da elite na metade do século XIX, durante o Romantismo. Naquela época, a cultura popular crescia na Europa e Estados Unidos e, baseados nesse interesse, estudiosos brasileiros como Celso de Magalhães e Sílvio Romero pesquisaram as manifestações folclóricas nativas e publicaram estudos. (FOLCLORE, 2010) Você sabia que o Folclore é protegido por lei? Isso mesmo, de acordo com a Constituição Federal de 1988, nos artigos 216 e 215, que relatam sobre o patrimônio cultural brasileiro: “os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasilei…