segunda-feira, 22 de junho de 2015

Reminiscências: As tão sonhadas férias de julho- Por: Monica Dias

O burburinho dentro de casa já acontecia, pais, tios e avós reunidos no almoço discutiam o destino das férias alegremente. E a criançada reunida na vila, conversava sobre o mesmo assunto.
- Júlio, seus pais já resolveram aonde vão te levar?
- Acredito que vamos para praia visitar meus avós... mas eu queria mesmo era ir com você! Suspiro e digo comigo mesma – também queria levar todos vocês!
 - Desta vez papai e mamãe resolveram visitar uns tios em Guaratinguetá, como disse a vocês ontem, a viagem será em família, meus primos irão também.

 Na reunião do almoço me senti constrangida porque não sabia nada do lugar, mas eles disseram que fica no Vale do Paraíba, aqui em São Paulo mesmo, a 176 km da capital, tive vontade de perguntar muita coisa, mas temi o olhar dos adultos, assim corri para o quarto e debaixo da cama, numa caixa muito bem organizada, peguei meu mapa do estado de São Paulo, que ganhei do meu avô, e iniciei uma pesquisa. Quando as primeiras palavras surgiram uau! Um lugar chamado Gomeral, já imaginei a turma toda pulando e nadando por ali. Li que está localizada na beira da estrada do Parque José Jorge Boueri, a 36 km do centro de “Guara” - ouvi meus pais chamarem o lugar assim – marquei no mapa.
A foto ao lado era de um Balneário (nem sabia muito bem o que era) chamado Águas da Mantiqueira, uma fonte hidromineral na Estrada do Taquaral...tchibum - mais uma marquinha no mapa.
 De súbito, peguei no telefone e liguei para o vovô. – Alô vovô? Você pode me contar de quando esteve em “Guara”?
 - Mas...minha neta?! Assim, pelo telefone?! Bem, vou começar(risadas)...Você já ouviu falar do Frei Galvão, o primeiro santo brasileiro?!
O próprio Papa Bento XVI esteve aqui para a canonização!
 - Canoni...o que significa?
- Minha neta, um ritual solene de entrega de um título, o de “santo” pela igreja católica, você precisa ler mais.
- Antônio Galvão de França já manifestava sua vocação desde pequeno, assim foi enviado para um seminário na Bahia. Mais tarde em São Paulo, se destacou como orador participando da primeira Academia de Letras e como arquiteto na construção do Mosteiro Nossa Senhora da Conceição da Luz em 1774. Ainda em vida muitos milagres são atribuídos a ele, mas chega de falação você precisa visitar o lugar e ouvir das pessoas suas histórias.

- Obrigado vovô, você tem razão, vou arrumar as malas!

Sobre a Autora

Mônica Dias sempre de malas prontas 
Trabalho na Etec Prof Camargo Aranha
Turismóloga e agente cultural
Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão EAD
Formação Pedagogica EJA
Atualizações:   jogos digitais, gestão de multimídias, museologia, sociologia do turismo e bla bla bla