Pular para o conteúdo principal

Os 6 fatores básicos para ter uma boa experiência usando Airbnb

Num artigo anterior, discursei sobre as minhas experiências com Airbnb e os motivos iniciais da criação do Airbnb (que pode ser acessado aqui). Agora vou dar algumas dicas de como conseguir desconto, diminuir dor de cabeça e ter uma experiência legal nesse novo jeito de hospedar.
Primeira pergunta usar Airbnb, vale apena? Então, depende muito. Existem alguns fatores que devem ser elencados: Numero de Pessoas, Localização da Propriedade, Qualidade da Propriedade, Periodo de Compra, Cidade/Estado e País e tempo de estadia.
Falemos do Numero de Pessoas, as propriedades atribuem diferentes preços para o numero de pessoas, pois geralmente não se reserva uma cama, mais sim, um quarto ou o apartamento completo. Assim, se esta viajando sozinho, os preços no Airbnb podem estar mais salgados do que nos hostels, além disso, se você viaja com grupos grandes, de 6 ou mais pessoas, você poderá encontrar problemas em buscar propriedades que aceitem esse contingente em alguns destinos.
Já sobre a Localização, as propriedades no Aibnb, variam de preço conforme a sua localização, quanto mais próximas do centro turístico, mais caras e, quanto mais afastadas, mais em conta. Assim, veja se é mais viável procurar algo mais afastado e comprar o ticket de transporte publico (fiz isso em Paris e, foi super mais vantajoso).
A qualidade é algo essencial, quando viajamos queremos um banheiro que funcione, uma cama “dormivel”, um espaço sem ruídos, seguro e amigável. Mas nem todos anfitriões oferecem isso, então, antes de fechar qualquer negocio, leia os comentários dos hospedes anteriores e preste bem atenção na descrição da propriedade dada pelo anfitrião.
Sobre o periodo de compra, além dos preços das propriedades sofrerem alterações conforme as datas estão mais próximas, você enfrentará problemas para encontrar propriedades em um curto espaço de tempo. Assim, programe sua viagem com bastante tempo de antecedência para conseguir um bom lugar com um bom preço.
A Cidade/Estado/País é algo que conta muito na viabilidade de uma propriedade do Airbnb em comparação com os hotéis e hotel tradicionais. Por exemplo, em Paris, Veneza e Copenhague o Airbnb foi a saída mais barata para se hospedar nesses lugares caros.
E por fim, o tempo de estadia, algumas propriedades não aceitam menos de 2 dias e, existe uma “taxa de limpeza”, algumas vezes elas são somadas por dia de estadia e, em outros caso, se paga uma taxa fixa pelo tempo de hospedagem, assim, mais dias resultam em uma tarifa mais viável.
Sobre descontos, no Aibnb há uma opção de enviar um link para seus amigos que ainda não tenham uma conta, se ele faz o cadastro dele, usando o link enviado, faz uma reserva e efetua o check out, você pode ganhar de 10 a 28 euros, dependendo da reserva do seu amigo.
Fiz um tramite bem interessante quando viajei, pois além de você ganhar enviando o link, seu amigo também ganha alguns reais/euros/dólares de desconto. Assim, como viajei com 3 pessoas, e nenhuma delas tinham conta, enviei o link para minhas amigas e, fizemos todas as viagens uma em cada conta para ganhar aqueles “euros” de desconto.

Bom, essas foram algumas dicas. Prepare as suas malas, avalie o quão bom o Airbnb é em determinada região comparada às outras ofertas, não feche na primeira propriedade, fale com o anfitrião e só forneça seus dados quando sentir totalmente confiante!

Veja a Palestra no Sesc sobre o Airbnb: https://www.sescsp.org.br/turismo/6583_VIAJANTE+CONECTADO+AIRBNB

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nicarágua, um paraíso natural

ORIGEM DO NOME, Nicarágua A origem do nome é incerta, já que o país não conta com um registro indígena, podendo-se recorrer somente às crônicas dos primeiros espanhóis. Nessas crônicas fala-se sobre o povo náhuatl que viviam entre o grande lago (chamado de Nicarágua posteriormente) e o Oceano Pacífico; a esta terra eles davam o nome de nic–atl-nahauc que significa "aqui junto a água".



LOCALIZAÇÃO A Nicarágua é um país da América Central, limitado ao norte pelo Golfo de Fonseca (através do qual faz fronteira com El Salvador), Honduras, a leste pelo Mar das Caraíbas, através do qual faz fronteira com o território colombiano de San Andrés e Providencia, a sul com a Costa Rica e a oeste com o Oceano Pacífico. Sua capital é Manágua. TOP 8 CURIOSIDADES -1ª Que futebol que nada! O esporte mais popular da Nicarágua é o beisebol. -2º A bebida típica é o pinolillo, uma bebida feita com milho, cacau, canela e outros ingredientes - 3º No total, a Nicarágua possui nove grandes lagos. Não é sem …

O que fazer depois que acabar a faculdade? Bacharel em Turismo

Após os três, quatro ou cinco anos de faculdade é natural que muitos ainda se perguntem o que vão fazer depois da faculdade, essa pergunta não é privilégio apenas dos futuros turismólogos, muitos e muitos outros futuros profissionais se fazem o mesmo questionamento. Mas falando dos futuros turismólogos, ao longo do curso a grade oferece uma serie de conhecimentos multidisciplinares que possuem o intuito de capacitar o profissional para os diversos meios de atuação do turismólogo. Mas a problemática se insere neste contexto. Algumas profissões como, por exemplo, licenciatura em Matemática, ou você ministra aulas ou vira pesquisador, são apenas duas opções (ou mais), de certa forma fica mais fácil de decidir, assim como biomedicina, ou você trabalha em um laboratório de analises clinicas, ou se torna professor ou se torna pesquisador. Já no turismo a realidade é inversa, em síntese temos os seguintes campos de atuação, cruzeiros, agencias de viagens, docente, poder publico, eventos, hotela…

O Folclore e o Turismo

Mas o que significa e o que é Folclore? Folclore é o conjunto de crenças, superstições, lendas, festas e costumes de um povo passado de geração em geração. A palavra Folclore vem do inglês pela junção das palavras folk (povo) e lore(sabedoria popular) significando sabedoria do povo. O Folclore no Brasil só começou a receber atenção da elite na metade do século XIX, durante o Romantismo. Naquela época, a cultura popular crescia na Europa e Estados Unidos e, baseados nesse interesse, estudiosos brasileiros como Celso de Magalhães e Sílvio Romero pesquisaram as manifestações folclóricas nativas e publicaram estudos. (FOLCLORE, 2010) Você sabia que o Folclore é protegido por lei? Isso mesmo, de acordo com a Constituição Federal de 1988, nos artigos 216 e 215, que relatam sobre o patrimônio cultural brasileiro: “os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasilei…