quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

O Selfie com o Golfinho

Recentemente as mídias sociais (facebook, pinterest, twitter, instagram e etc), jornais e revistas foram bombardeadas com memes, informações, criticas e comentários sobre o famoso golfinho que foi retirado da água para prestigiar os supostos selfies dos turistas que por ali passavam.
O fato que foi noticiado é que no dia dez de fevereiro deste ano um golfinho foi encontrado no litoral argentino, especificamente na praia de Santa Teresita em Buenos Aires. A partir disto, surgiram noticias que mostraram que ao invés de salvar os turistas tiraram fotos e selfies com o mamífero que, por sua vez, veio a óbito.
Em contrapartida surgiram outras noticias, vídeos e fotos que alegam que o mamífero já estava morto e, que alguns turistas tentaram reanimar o animal.
Morto ou não, a notícia repercutiu na rede e gerou polemicas, sendo que a maioria dos internautas afirmava que os turistas foram intransigentes ao proceder de forma a tirar fotos com o animal. Nas fotos, aparecem pessoas segurando o golfinho e inúmeras tirando foto do mesmo, dificultando assim a análise do que estava ocorrendo.
Entretanto, as pessoas se alarmaram com o turismo de status que ocorreu por meio da figura do golfinho e também pelo impacto ambiental, mas se esquecem dos danos ambientais que ocorrem todos os dias nos parques naturais por conta da conduta predatória do turismo de massa.
Uma parcela considerável dos turistas riscam pedras, retiram flores, jogam lixo nas trilhas, alimentam os animais silvestres, pisoteiam a vegetação e muitos outros impactos que não são vistos como tão deploráveis pela imprensa e pelas mídias sociais.

Portanto, a morte de um golfinho, não é mais, ou menos, impactante do que um turismo predatório em um ambiente natural. A conduta preservacionista só depende de você.