Pular para o conteúdo principal

Minha Primeira Palestra- 7 Dicas p/ Palestrantes


Nos dias 27 de agosto e 1 de setembro realizei 5 palestras sobre “Turismo e Perspectivas Profissionais” na Semana Vocacional da E.E “Cel. João Ernesto Figueiredo”, em Joanópolis/SP. O convite veio do Grêmio Estudantil “Unidos do Figueiredo” que cordialmente me contataram para proferir as palestras.
Em dois dias mais de 140 pessoas assistiram as minhas palestras, sendo elas do 3º ano do Ensino Médio Regular, 3º Ano do Ensino Médio EJA, 2º ano do Ensino Médio Regular e o 1º ano do Ensino Médio Regular.
Como lidei com diferentes públicos, de diferentes idades e de diferentes ambições, para cada sala propus uma metodologia diferenciada de palestra. Para os 3º do Médio Regular contei o que é o Turismólogo, seu campo de atuação, salario, desafios e, também abordei sobre a vida acadêmica, discursando sobre como e morar fora, dificuldades, festas, aulas e etc.
Para o 2º e 1º ano a palestra seguiu praticamente os mesmos moldes da que proferida aos 3º, mas incrementei um vídeo motivacional.
Já para o EJA ( Ensino de Jovens e Adultos) a palestra foi totalmente diferente, para começar organizamos a sala em um circulo e no centro uma cadeira giratória. Iniciei a palestra me apresentando e logo puxei uma dinâmica, nela aos presentes deveriam escrever em um papel a resposta da pergunta “O que eu quero no meu Futuro?” e, depois disso foi embaralhado e cada um leu um papel. Depois disso passei um vídeo motivacional e discursei sobre a felicidade e as escolhas que temos na vida.
As palestras foram ótimas, pude observar um entrosamento de boa parte dos alunos. O mais interessante e que poucos sabiam que existe um turismólogo e muito menos o que ele faz.
Fiquei contente com as palestras, pois foi a primeira vez que palestrava, anteriormente só havia feito cerimoniais e seminários. Então, para quem pretende palestrar algum dia, dou algumas dicas de iniciante:
- Faça piadas (elas ajudaram a quebrar o gelo);
- Pergunte a plateia (perguntar auxilia no estreitamento de laços);
- Estude o seu publico (pense o que é mais interessante passar ao público);
- Não leia (para uma boa palestra domine o conteúdo, pois não é um seminário, mas sim uma espécie de bate papo);
- Conte experiências suas e de seus próximos (para sintetizar as ideias conte coisas que acontecem com você, sejam boas ou sejam elas ruins);
-Não se gabe (se você tem um bom currículo não se gabe, mostre a plateia os caminhos que você teve que passar);
- Por fim, finalize com um gostinho de quero mais (deixe a plateia descontraída no final, acabe com uma frase de efeito ou uma situação engraçada da sua vida, pois assim ela terá uma boa recordação deste momento).
Estas são apenas algumas dicas de principiante, mas o que pude perceber é que a plateia busca algo mais dinâmico, menos falado. Afinal até mesmos nós nos incomodamos com longas palestras sem contato algum entre palestrante e plateia.
Por fim, gostaria de dizer que como estudante de turismo a oportunidade que eu tive foi essencial para divulgar nossa profissão, mas em especial, pautei principalmente em dar um rumo as dezenas de mentes que são poucas se compararmos aos inúmeros jovens do nosso Brasil que saem do Ensino Médio sem perspectivas.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nicarágua, um paraíso natural

ORIGEM DO NOME, Nicarágua A origem do nome é incerta, já que o país não conta com um registro indígena, podendo-se recorrer somente às crônicas dos primeiros espanhóis. Nessas crônicas fala-se sobre o povo náhuatl que viviam entre o grande lago (chamado de Nicarágua posteriormente) e o Oceano Pacífico; a esta terra eles davam o nome de nic–atl-nahauc que significa "aqui junto a água".



LOCALIZAÇÃO A Nicarágua é um país da América Central, limitado ao norte pelo Golfo de Fonseca (através do qual faz fronteira com El Salvador), Honduras, a leste pelo Mar das Caraíbas, através do qual faz fronteira com o território colombiano de San Andrés e Providencia, a sul com a Costa Rica e a oeste com o Oceano Pacífico. Sua capital é Manágua. TOP 8 CURIOSIDADES -1ª Que futebol que nada! O esporte mais popular da Nicarágua é o beisebol. -2º A bebida típica é o pinolillo, uma bebida feita com milho, cacau, canela e outros ingredientes - 3º No total, a Nicarágua possui nove grandes lagos. Não é sem …

O que fazer depois que acabar a faculdade? Bacharel em Turismo

Após os três, quatro ou cinco anos de faculdade é natural que muitos ainda se perguntem o que vão fazer depois da faculdade, essa pergunta não é privilégio apenas dos futuros turismólogos, muitos e muitos outros futuros profissionais se fazem o mesmo questionamento. Mas falando dos futuros turismólogos, ao longo do curso a grade oferece uma serie de conhecimentos multidisciplinares que possuem o intuito de capacitar o profissional para os diversos meios de atuação do turismólogo. Mas a problemática se insere neste contexto. Algumas profissões como, por exemplo, licenciatura em Matemática, ou você ministra aulas ou vira pesquisador, são apenas duas opções (ou mais), de certa forma fica mais fácil de decidir, assim como biomedicina, ou você trabalha em um laboratório de analises clinicas, ou se torna professor ou se torna pesquisador. Já no turismo a realidade é inversa, em síntese temos os seguintes campos de atuação, cruzeiros, agencias de viagens, docente, poder publico, eventos, hotela…

O Folclore e o Turismo

Mas o que significa e o que é Folclore? Folclore é o conjunto de crenças, superstições, lendas, festas e costumes de um povo passado de geração em geração. A palavra Folclore vem do inglês pela junção das palavras folk (povo) e lore(sabedoria popular) significando sabedoria do povo. O Folclore no Brasil só começou a receber atenção da elite na metade do século XIX, durante o Romantismo. Naquela época, a cultura popular crescia na Europa e Estados Unidos e, baseados nesse interesse, estudiosos brasileiros como Celso de Magalhães e Sílvio Romero pesquisaram as manifestações folclóricas nativas e publicaram estudos. (FOLCLORE, 2010) Você sabia que o Folclore é protegido por lei? Isso mesmo, de acordo com a Constituição Federal de 1988, nos artigos 216 e 215, que relatam sobre o patrimônio cultural brasileiro: “os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasilei…