quarta-feira, 8 de julho de 2015

Diário de Viagem- Memorial da Inclusão/SP

Sobre a Exposição
A Exposição reúne aproximadamente seiscentos documentos, selecionados para compor uma leitura do movimento social da pessoa com deficiência, sua luta e conquistas. Tais documentos foram reunidos e sugeridos por uma equipe seleta de militantes do segmento, que disponibilizaram seus acervos pessoais e abriram os canais para o encontro sempre proveitoso com outros acervos e pessoas, também dispostas a contribuir para contar e relembrar os caminhos da pessoa com deficiência para a inclusão social.
A ideia original de contar a história do movimento social da pessoa com deficiência foi ampliada para memorial da inclusão, por considerar que as reivindicações e conquistas deste segmento são benefícios para toda a sociedade, apesar de reivindicações muito pontuais. 
A ideia evoluiu para traçar os caminhos das pessoas com deficiência em prol de uma sociedade mais inclusiva e, assim, com esta proposta, estimular a reflexão de que as formas e frentes de ação do segmento contribuíram sobremaneira para conquistas constitucionais e legais e, fundamentalmente, para mudanças nos valores sociais, na percepção da sociedade sobre a pessoa com deficiência. Tais caminhos concederam à sociedade brasileira a oportunidade de compreender e aceitar o diferente e significar a diversidade. 
O Memorial da Inclusão faz jus ao que se entende por história e por memória. Não existe nem história e nem memória puras. Elas são o resultado de escolhas, de seleção, voluntária ou involuntária: do historiador, da sociedade e do sujeito. (INCLUSÃO, 2014, grifo do autor)
A Visitação
Tive a oportunidade de ir ao Memorial da Inclusão: os caminhos da pessoa com deficiência ontem (07 de julho) e realmente fiquei encantado com o acervo, a acessibilidade e decoração do local.
Logo de inicio é importante frisar que a entrada é franca, pois a exposição é do Governo do Estado e, eles só pedem o seu RG para efetuar o cadastro. Para entrar tem uma catraca super charmosa que permite que pessoas com mobilidade reduzida tenham amplo acesso ao acervo.
O acervo por sua vez encanta pela facilidade de leitura, dado os inúmeros recursos visuais bem como o braile, letras grandes e imagens e, também recursos auditivos, que fazem uma leitura de algumas estações.
Ao caminhar pelo acervo é possível mergulhar no universo das lutas pelos direitos e pela inclusão dos deficientes e também é possível visualizar os grandes militantes do movimento e suas realizações.
Além da acessibilidade no acervo, existe no espaço monitores que explanam e procuram facilitar ao máximo a visitação.
Por que ir ao Memorial da Inclusão?
Particularmente, acredito que o Memorial da Inclusão abriu a minha mente, pois eu não sabia da conquista dos direitos dos deficientes e também pude ver os tipos de censura e opressão que eles sofreram ao longo da história. Então, conhecer o Memorial da Inclusão permite um repensar de nossos atos e uma assimilação de ideias.
Roteirização
Como atrativo que oferece acessibilidade e proporciona um amplo conhecimento sobre as questões da inclusão no Brasil, acredito que o Memorial da Inclusão é um ambiente importantíssimo e que pode ser usado como atrativo na formatação de roteiros turísticos.
Informação e Dicas
- Não se esqueça de levar o seu RG, ou qualquer outro documento.
- É permitido tirar foto do acervo.
- Vá com tempo, para mergulhar na história.
Localização
O Memorial da Inclusão está localizado na Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564 - Portão 10 - Barra Funda - São Paulo – SP, pertinho da estação Palmeiras/ Barra Funda do metro e ao lado do Memorial da América Latina.
Contato
 Tel.: (11) 5212.3700
Site: http://www.memorialdainclusao.sp.gov.br/br/home/significado_do_logo.shtml
REFERÊNCIAS

INCLUSÃO, M. da.  A exposição.  Disponível em <http://www.memorialdainclusao.sp.gov.br/br/home/significado_do_logo.shtml> Acesso em: 08 de jul. de 2015.