Pular para o conteúdo principal

Diário de Viagem- Memorial da Inclusão/SP

Sobre a Exposição
A Exposição reúne aproximadamente seiscentos documentos, selecionados para compor uma leitura do movimento social da pessoa com deficiência, sua luta e conquistas. Tais documentos foram reunidos e sugeridos por uma equipe seleta de militantes do segmento, que disponibilizaram seus acervos pessoais e abriram os canais para o encontro sempre proveitoso com outros acervos e pessoas, também dispostas a contribuir para contar e relembrar os caminhos da pessoa com deficiência para a inclusão social.
A ideia original de contar a história do movimento social da pessoa com deficiência foi ampliada para memorial da inclusão, por considerar que as reivindicações e conquistas deste segmento são benefícios para toda a sociedade, apesar de reivindicações muito pontuais. 
A ideia evoluiu para traçar os caminhos das pessoas com deficiência em prol de uma sociedade mais inclusiva e, assim, com esta proposta, estimular a reflexão de que as formas e frentes de ação do segmento contribuíram sobremaneira para conquistas constitucionais e legais e, fundamentalmente, para mudanças nos valores sociais, na percepção da sociedade sobre a pessoa com deficiência. Tais caminhos concederam à sociedade brasileira a oportunidade de compreender e aceitar o diferente e significar a diversidade. 
O Memorial da Inclusão faz jus ao que se entende por história e por memória. Não existe nem história e nem memória puras. Elas são o resultado de escolhas, de seleção, voluntária ou involuntária: do historiador, da sociedade e do sujeito. (INCLUSÃO, 2014, grifo do autor)
A Visitação
Tive a oportunidade de ir ao Memorial da Inclusão: os caminhos da pessoa com deficiência ontem (07 de julho) e realmente fiquei encantado com o acervo, a acessibilidade e decoração do local.
Logo de inicio é importante frisar que a entrada é franca, pois a exposição é do Governo do Estado e, eles só pedem o seu RG para efetuar o cadastro. Para entrar tem uma catraca super charmosa que permite que pessoas com mobilidade reduzida tenham amplo acesso ao acervo.
O acervo por sua vez encanta pela facilidade de leitura, dado os inúmeros recursos visuais bem como o braile, letras grandes e imagens e, também recursos auditivos, que fazem uma leitura de algumas estações.
Ao caminhar pelo acervo é possível mergulhar no universo das lutas pelos direitos e pela inclusão dos deficientes e também é possível visualizar os grandes militantes do movimento e suas realizações.
Além da acessibilidade no acervo, existe no espaço monitores que explanam e procuram facilitar ao máximo a visitação.
Por que ir ao Memorial da Inclusão?
Particularmente, acredito que o Memorial da Inclusão abriu a minha mente, pois eu não sabia da conquista dos direitos dos deficientes e também pude ver os tipos de censura e opressão que eles sofreram ao longo da história. Então, conhecer o Memorial da Inclusão permite um repensar de nossos atos e uma assimilação de ideias.
Roteirização
Como atrativo que oferece acessibilidade e proporciona um amplo conhecimento sobre as questões da inclusão no Brasil, acredito que o Memorial da Inclusão é um ambiente importantíssimo e que pode ser usado como atrativo na formatação de roteiros turísticos.
Informação e Dicas
- Não se esqueça de levar o seu RG, ou qualquer outro documento.
- É permitido tirar foto do acervo.
- Vá com tempo, para mergulhar na história.
Localização
O Memorial da Inclusão está localizado na Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564 - Portão 10 - Barra Funda - São Paulo – SP, pertinho da estação Palmeiras/ Barra Funda do metro e ao lado do Memorial da América Latina.
Contato
 Tel.: (11) 5212.3700
Site: http://www.memorialdainclusao.sp.gov.br/br/home/significado_do_logo.shtml
REFERÊNCIAS

INCLUSÃO, M. da.  A exposição.  Disponível em <http://www.memorialdainclusao.sp.gov.br/br/home/significado_do_logo.shtml> Acesso em: 08 de jul. de 2015.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nicarágua, um paraíso natural

ORIGEM DO NOME, Nicarágua A origem do nome é incerta, já que o país não conta com um registro indígena, podendo-se recorrer somente às crônicas dos primeiros espanhóis. Nessas crônicas fala-se sobre o povo náhuatl que viviam entre o grande lago (chamado de Nicarágua posteriormente) e o Oceano Pacífico; a esta terra eles davam o nome de nic–atl-nahauc que significa "aqui junto a água".



LOCALIZAÇÃO A Nicarágua é um país da América Central, limitado ao norte pelo Golfo de Fonseca (através do qual faz fronteira com El Salvador), Honduras, a leste pelo Mar das Caraíbas, através do qual faz fronteira com o território colombiano de San Andrés e Providencia, a sul com a Costa Rica e a oeste com o Oceano Pacífico. Sua capital é Manágua. TOP 8 CURIOSIDADES -1ª Que futebol que nada! O esporte mais popular da Nicarágua é o beisebol. -2º A bebida típica é o pinolillo, uma bebida feita com milho, cacau, canela e outros ingredientes - 3º No total, a Nicarágua possui nove grandes lagos. Não é sem …

O que fazer depois que acabar a faculdade? Bacharel em Turismo

Após os três, quatro ou cinco anos de faculdade é natural que muitos ainda se perguntem o que vão fazer depois da faculdade, essa pergunta não é privilégio apenas dos futuros turismólogos, muitos e muitos outros futuros profissionais se fazem o mesmo questionamento. Mas falando dos futuros turismólogos, ao longo do curso a grade oferece uma serie de conhecimentos multidisciplinares que possuem o intuito de capacitar o profissional para os diversos meios de atuação do turismólogo. Mas a problemática se insere neste contexto. Algumas profissões como, por exemplo, licenciatura em Matemática, ou você ministra aulas ou vira pesquisador, são apenas duas opções (ou mais), de certa forma fica mais fácil de decidir, assim como biomedicina, ou você trabalha em um laboratório de analises clinicas, ou se torna professor ou se torna pesquisador. Já no turismo a realidade é inversa, em síntese temos os seguintes campos de atuação, cruzeiros, agencias de viagens, docente, poder publico, eventos, hotela…

O Folclore e o Turismo

Mas o que significa e o que é Folclore? Folclore é o conjunto de crenças, superstições, lendas, festas e costumes de um povo passado de geração em geração. A palavra Folclore vem do inglês pela junção das palavras folk (povo) e lore(sabedoria popular) significando sabedoria do povo. O Folclore no Brasil só começou a receber atenção da elite na metade do século XIX, durante o Romantismo. Naquela época, a cultura popular crescia na Europa e Estados Unidos e, baseados nesse interesse, estudiosos brasileiros como Celso de Magalhães e Sílvio Romero pesquisaram as manifestações folclóricas nativas e publicaram estudos. (FOLCLORE, 2010) Você sabia que o Folclore é protegido por lei? Isso mesmo, de acordo com a Constituição Federal de 1988, nos artigos 216 e 215, que relatam sobre o patrimônio cultural brasileiro: “os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasilei…