Pular para o conteúdo principal

Barcelona: andando com locais (Parte 1)

Parque Guell
  Sem sombras de dúvidas, é fácil dizer que há cidades e cidades na Europa; e Barcelona é A cidade!
A belíssima capital da Catalunha, Barcelona, que é também terra de Gaudí, Miró, Botero e tantos outros famosos nomes que viveram e passaram por lá é, por supuesto, uma das melhores cidades que conheci na Europa!
Saímos de Paris com destino a Barcelona no dia 22 de dezembro, nosso objetivo foi passar o Natal por lá.
Em um voo bem apertadinho, da Ryanair, diga-se de passagem, muito barato, desembarcamos em El Prat Aeropuerto. Como tínhamos uma amiga lá, a tão amorosa Bia, ficamos mais tranquilos quanto a roteiro e coisas para se ver.
Torres de Cristina 
Ao chegar nossa anfitriã nos esperava no desembarque e já começava a nos contar tudo que faríamos e para onde iríamos. Para sair do Aeroporto com o destino a cidade de Barcelona, tem vários caminhos, más o mais barato é pegar um Trem, o conhecido R2N (Norte), quem com um passe de metro você desembarca na cidade.
Super recomento comprar o cartão T10 em Barcelona, pois você tem direito a 10 viagens e pode usar com seus amigos!
Chegamos ao centro e fomos direto ao nosso Airbnb, super bem localizado na Plaza España, que é um super point da cidade.  Já sobre o Airbnb tenho muito que falar (há muito mesmo), mas isso é assunto para outro post.
Chegamos ao Airbnb, deixamos nossas coisas e fomos ao mercado. Logo depois começamos a “turistar”. Mas nada muito longe, pelas redondezas mesmo.
Fomos a Praça Espanha, vimos as Torres de Cristina, o Museu Nacional, O Parque Olímpico, O Museu do Povo Espanhol e mais outros atrativos que estavam no caminho.
Começamos a amar o local desde o primeiro momento, desde que desembarcamos no aeroporto, basicamente por três motivos. O primeiro o clima é mais quente (mesmo no inverno), segundo os atrativos são belíssimos e terceiro, mas não menos importantes, as pessoas são cordeais e mais calorosas.
Já nos outros dias fomos aos outros atrativos importantes da cidade, bem como as Ramblas, Plaza Catalunja, a catedral de Barcelona, ao Porto, a praia da Barceloneta e em outros atrativos.
Eu e a querida Bia! 
Tudo muito lindo, muito belo, bem como as obras arquitetônicas de Gaudí, a cidade viva, a facilidade de locomoção, enfim, tudo perfeito.
Penso que Barcelona foi uma das cidades que mais desfrutamos, uma pelo fato da nossa Anfitriã, ser afiadíssima nas historias da Capital da Catalunha e outro pelo fato da cidade ter muito a nos falar.
Por isso, super recomendo, Andem com os Locais! Vocês vão amar suas historias e viajar ainda mais em cada singelo atrativo turístico, e o melhor, até aquilo que não é atrativo se transforma em atrativo pelo simples olhar e explicação de um local.
Bia transformou essa viagem a Barcelona ainda mais inesquecível por conta de seus apontamentos. E foram 4 dias muito bem aproveitados, mesmo Bia nos deixando na véspera de Natal, foi possível aprender muito com ela, por isso nosso singelo: Obrigado! Grácias! Thank you!
Andar com locais é entender como a cidade funciona, quais são seus pontos negativos e positivos, é obter um novo olhar, criar senso crítico, viajar nas historias, conhecer pessoas e fazer o verdadeiro turismo do conhecimento (sustentável e multicultural).
Parque Guell
O que mais sobre Barcelona? Bom, foram tantas experiências que um post não é suficiente para demonstrar o quão significativa essa cidade foi.
Assim, essa será a Parte 1, de Barcelona, esperem que vêm mais por ai, não contem da missa a metade :) See you soon 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nicarágua, um paraíso natural

ORIGEM DO NOME, Nicarágua A origem do nome é incerta, já que o país não conta com um registro indígena, podendo-se recorrer somente às crônicas dos primeiros espanhóis. Nessas crônicas fala-se sobre o povo náhuatl que viviam entre o grande lago (chamado de Nicarágua posteriormente) e o Oceano Pacífico; a esta terra eles davam o nome de nic–atl-nahauc que significa "aqui junto a água".



LOCALIZAÇÃO A Nicarágua é um país da América Central, limitado ao norte pelo Golfo de Fonseca (através do qual faz fronteira com El Salvador), Honduras, a leste pelo Mar das Caraíbas, através do qual faz fronteira com o território colombiano de San Andrés e Providencia, a sul com a Costa Rica e a oeste com o Oceano Pacífico. Sua capital é Manágua. TOP 8 CURIOSIDADES -1ª Que futebol que nada! O esporte mais popular da Nicarágua é o beisebol. -2º A bebida típica é o pinolillo, uma bebida feita com milho, cacau, canela e outros ingredientes - 3º No total, a Nicarágua possui nove grandes lagos. Não é sem …

O que fazer depois que acabar a faculdade? Bacharel em Turismo

Após os três, quatro ou cinco anos de faculdade é natural que muitos ainda se perguntem o que vão fazer depois da faculdade, essa pergunta não é privilégio apenas dos futuros turismólogos, muitos e muitos outros futuros profissionais se fazem o mesmo questionamento. Mas falando dos futuros turismólogos, ao longo do curso a grade oferece uma serie de conhecimentos multidisciplinares que possuem o intuito de capacitar o profissional para os diversos meios de atuação do turismólogo. Mas a problemática se insere neste contexto. Algumas profissões como, por exemplo, licenciatura em Matemática, ou você ministra aulas ou vira pesquisador, são apenas duas opções (ou mais), de certa forma fica mais fácil de decidir, assim como biomedicina, ou você trabalha em um laboratório de analises clinicas, ou se torna professor ou se torna pesquisador. Já no turismo a realidade é inversa, em síntese temos os seguintes campos de atuação, cruzeiros, agencias de viagens, docente, poder publico, eventos, hotela…

O Folclore e o Turismo

Mas o que significa e o que é Folclore? Folclore é o conjunto de crenças, superstições, lendas, festas e costumes de um povo passado de geração em geração. A palavra Folclore vem do inglês pela junção das palavras folk (povo) e lore(sabedoria popular) significando sabedoria do povo. O Folclore no Brasil só começou a receber atenção da elite na metade do século XIX, durante o Romantismo. Naquela época, a cultura popular crescia na Europa e Estados Unidos e, baseados nesse interesse, estudiosos brasileiros como Celso de Magalhães e Sílvio Romero pesquisaram as manifestações folclóricas nativas e publicaram estudos. (FOLCLORE, 2010) Você sabia que o Folclore é protegido por lei? Isso mesmo, de acordo com a Constituição Federal de 1988, nos artigos 216 e 215, que relatam sobre o patrimônio cultural brasileiro: “os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasilei…