Pular para o conteúdo principal

Meu Primeiro Voo

Pois é, pode até parecer algo estranho neste mundo onde todos são viajantes, mas eu nunca tinha voado antes.
Já conheço alguns lugares bem distantes: Joinville/SC, Morretes/PR, Foz do Iguaçu/PR, Feira de Santana/BA, Curitiba/PR e outros lugares, mas todos meus deslocamentos tinham sido de ônibus ou de carro.
Mas ai, surgiu a oportunidade de ministrar uma oficina no Sesc de Ribeirão Preto/SP e eu não podia deixar passar. Até me ofereceram ir de São Paulo a Ribeirão Preto de ônibus, mas eu tinha que experimentar o tão falado voo doméstico!
E assim foi, peguei um ônibus de Atibaia/SP com destino a cidade de São Paulo, peguei o metro até o terminal São Judas, chamei um táxi no Uber e logo estava chegando no Aeroporto de Congonhas.
Confesso que pensei que eu demoraria muito para embarcar, ainda mais com essas novas regras na Anac e etc. Mas, por incrível que pareça o aeroporto estava muito vazio. Algumas filinhas na Gol, outras na Avianca, algumas na Azul e algumas pessoas em minha frente na fila da Latam.
Fiz meu check in e fui despachar minha bagagem, mas de verdade, não demorou nem 10 minutos na fila do despache. Ai pensei comigo:
-HÁ, aqui deve estar mais tranquilo, deixa eu subir para a inspeção para sofrer um pouco.
Que nada! Não sei se é pelo fato de ser uma segunda-feira, no período da tarde, mas no hall de embarque não tinha muita gente, e na fila para passar no raio X, 5 pessoas em minha frente.
Achei engraçado a moça do Raio X:
- Por Favor, retirem os notebooks das bolsas, aparelhos eletrônicos e outros...
Acho que ela se decepcionou ao ver no meu scaner que em minha mochila só existia minha carteira e um livro....
Enfim. Desci para o saguão para esperar meu embarque. Massss, como sempre ocorre, estava eu no portão 13 e escuto alteração para o portão 7, lá me vou ao portão 7, ai mais uma vez, alteração para o portão 4. Bom, claro que eu fui (mesmo contrariado) mas me sentei e aguardei.
Começou o procedimento de embarque, entrei na aeronave, tudo muito lindo, muito pequeno, pessoas se ajeitando e, eu encantado com tudo, desde de a simpatia da comissária de bordo ao botão de inclinar a poltrona.
Os procedimentos de voo começam, informações, as máscaras que caíram do teto e tudo mais. Até que o voo foi autorizado que o avião começa a pegar impulso na pista. Senti um friozinho na barriga e quando menos percebi estávamos no céu.
Dia nublado em São Paulo que deixou minha janela por uns 5 minutos branca, até que vi o sol e as nuvenzinhas parecendo algodão e as casinhas que pareciam lego. Algo incrível de se ver.
Ai, começou serviço de bordo, pensei que iria ser O serviço, mas foi só uma bebida mesmo. Até porque o voo tem apenas 40 minutos, mas acredite, foi tempo suficiente para muita gente dormir.
Começamos o processo de pouso, (mal acabamos de decolar já estávamos pousando rs), ai foi uma coisa que só, o ouvido ficava tapado a pressão diminuindo até que tudo ia se ajeitando. Do alto já dava para observar a região de Ribeirão Preto.
Até que o piloto disse. – Obrigado por voar Latam, o tempo em Ribeirão Preto é bom, temperatura de 35º... Mas como disse meu anfitrião:
- Nunca vi o comandante dizer que o tempo em Ribeirão não está bom (srsrsr).
Por fim, esperei minha bagagem sair (mesmo acreditando que ela não chegaria até meus braços, resisti e a esperei)... Encontrei o anfitrião e fomos para a cidade.
Foi bom voar, mesmo sendo bem rapidinho, literalmente voei de São Paulo a Ribeirão, deu até para sentir o friozinho na barriga e a ansiedade crescer pelo próximo voo.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nicarágua, um paraíso natural

ORIGEM DO NOME, Nicarágua A origem do nome é incerta, já que o país não conta com um registro indígena, podendo-se recorrer somente às crônicas dos primeiros espanhóis. Nessas crônicas fala-se sobre o povo náhuatl que viviam entre o grande lago (chamado de Nicarágua posteriormente) e o Oceano Pacífico; a esta terra eles davam o nome de nic–atl-nahauc que significa "aqui junto a água".



LOCALIZAÇÃO A Nicarágua é um país da América Central, limitado ao norte pelo Golfo de Fonseca (através do qual faz fronteira com El Salvador), Honduras, a leste pelo Mar das Caraíbas, através do qual faz fronteira com o território colombiano de San Andrés e Providencia, a sul com a Costa Rica e a oeste com o Oceano Pacífico. Sua capital é Manágua. TOP 8 CURIOSIDADES -1ª Que futebol que nada! O esporte mais popular da Nicarágua é o beisebol. -2º A bebida típica é o pinolillo, uma bebida feita com milho, cacau, canela e outros ingredientes - 3º No total, a Nicarágua possui nove grandes lagos. Não é sem …

O que fazer depois que acabar a faculdade? Bacharel em Turismo

Após os três, quatro ou cinco anos de faculdade é natural que muitos ainda se perguntem o que vão fazer depois da faculdade, essa pergunta não é privilégio apenas dos futuros turismólogos, muitos e muitos outros futuros profissionais se fazem o mesmo questionamento. Mas falando dos futuros turismólogos, ao longo do curso a grade oferece uma serie de conhecimentos multidisciplinares que possuem o intuito de capacitar o profissional para os diversos meios de atuação do turismólogo. Mas a problemática se insere neste contexto. Algumas profissões como, por exemplo, licenciatura em Matemática, ou você ministra aulas ou vira pesquisador, são apenas duas opções (ou mais), de certa forma fica mais fácil de decidir, assim como biomedicina, ou você trabalha em um laboratório de analises clinicas, ou se torna professor ou se torna pesquisador. Já no turismo a realidade é inversa, em síntese temos os seguintes campos de atuação, cruzeiros, agencias de viagens, docente, poder publico, eventos, hotela…

O Folclore e o Turismo

Mas o que significa e o que é Folclore? Folclore é o conjunto de crenças, superstições, lendas, festas e costumes de um povo passado de geração em geração. A palavra Folclore vem do inglês pela junção das palavras folk (povo) e lore(sabedoria popular) significando sabedoria do povo. O Folclore no Brasil só começou a receber atenção da elite na metade do século XIX, durante o Romantismo. Naquela época, a cultura popular crescia na Europa e Estados Unidos e, baseados nesse interesse, estudiosos brasileiros como Celso de Magalhães e Sílvio Romero pesquisaram as manifestações folclóricas nativas e publicaram estudos. (FOLCLORE, 2010) Você sabia que o Folclore é protegido por lei? Isso mesmo, de acordo com a Constituição Federal de 1988, nos artigos 216 e 215, que relatam sobre o patrimônio cultural brasileiro: “os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasilei…