Pular para o conteúdo principal

Criadores de conteúdo da ATH recebem premio no 12° Fórum Internacional de Turismo do Iguassu

O 12º Fórum Internacional de Turismo do Iguassu foi um evento complementar do 13º Festival das Cataratas que ocorreu na cidade de Foz do Iguaçu/PR, no Rafain Palace Hotel & Convention, durantes os dias 20, 21 e 22 de junho de 2018.
Paulo Angeli, coordenador do festival, ressaltou durante a solenidade de abertura que o Fórum de Turismo é o “maior e melhor evento científico do turismo dás Américas”. Além disso, segundo o site oficial do evento, nesta edição foram enviados foram submetidos 309 trabalhos entre resumos e artigos científicos provenientes de inúmeras instituições de ensino espalhadas pelo Brasil. (FESTIVAL DAS CATARATAS, 2018)
Nesta edição, dois dos criadores de conteúdo da A Arte do Turismo e da Hotelaria-ATH estiveram presentes no evento e foram premiados em ambas as categorias do evento.
Éverton e Túlio
Foto: Acervo Pessoal, 2018.
Éverton Felipe Kaizer, estudante de Turismo na Universidade Federal de Pelotas (UFPel), colaborador na ATH desde 2015, recebeu a premiação de melhor Resumo Expandido junto com os coautores Tulio Matheus Amarillo Souza, Sirlene de Mello Sopeña, Anelize Milano Cardoso e Tanara Gomes da Costa. O Resumo Expandido premiado intitulava-se “Idosos, envelhecimento e terceira idade: análise da produção acadêmica a partir das publicações no Fórum Internacional de Turismo do Iguassu”.
Segundo Éverton sobre sua conquista:
Eu não tinha esperança de ganhar esse ano. Nos outros eu até pensava na possibilidade. Quando anunciaram que tinhamos ficado entre os 10 melhores eu fiquei muito surpreso. E quando soube que tinha ganhado o primeiro lugar, não acreditei! Custou para eu entender que era real e que o nosso trabalho tinha sido o melhor resumo expandido da edição. Voltamos pra Pelotas comemorando e com o cheque em frente ao ônibus. Afinal, a UFPel ganhou novamente o prêmio de melhor resumo expandido do Fórum Internacional de Turismo do Iguassu.
O Resumo Expandido premiado foi um trabalho desenvolvido dentro do projeto de pesquisa "Projetando lugares com idosos: rumo às comunidades amigas do envelhecimento", parceria entre cinco Universidades britânicas e três Universidades brasileiras. A coordenação no Brasil é feita pela professora da UFPel, Dra. Adriana Portella. O trabalho busca identificar nos anais do Fórum Internacional de Turismo do Iguassu as pesquisas que possuem como temática: idosos, envelhecimento e terceira idade.
Foto da Premiação (Leonardo a esquerda)
Foto: Jean Pavão
Na categoria de Artigo Científico o primeiro lugar foi para Leonardo Giovane Moreira Gonçalves, fundador da ATH e estudante de turismo da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campos de Rosana/SP. Leonardo e sua orientadora a Profa. Dra. Rosangela Custodio Cortez Thomaz foram premiados com o artigo intitulado “O museu no espaço rural: percursos para constituição do futuro Museu do Assentado no município de Rosana/SP”.


Sobre a premiação, Leonardo informou que:
Sobre o 12º Fórum Internacional de Turismo do Iguassu quando enviamos o trabalho intitulado "O Museu no espaço rural: percursos para constituição do futuro Museu do Assentado no município de Rosana/SP" não esperávamos o Premio e muito menos estar entre os 10 melhores, primeiramente pois haviam sido submetidos mais de 309 trabalhos e, também porque concorríamos na categoria de Artigos Científicos, na qual pesquisadores renomados, mestres, doutores e pós-doutores participam. Além disso, o artigo submetido, ao meu ver inicial, não tinha chance de concorrer ao prêmio pois ele retrata de que modo entendemos o Museu, suas bases culturais e os percursos que tivemos desde 2014 aos dias atuais, ou seja, o artigo premiado é um trabalho justificativo e expositivo fundamental para entender o Museu do Assentado.
Segundo o autor o Artigo Científico premiado faz parte do projeto “Turismo cultural rural: o Museu do Assentado no município de Rosana/SP”, financiado na atualidade pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), que tem como intuito inventariar o patrimônio material e imaterial por meio das memórias dos entrevistados dos quatro assentamentos de reforma agrária do município de Rosana/SP e, assim, findar a implantação do primeiro Museu do assentado em território nacional.
Nós da A Arte do Turismo e da Hotelaria ficamos extremamente felizes de ver dois de nossos colaboradores sendo premiados e um evento de renome na academia do Turismo. Parabéns, Éverton e Leonardo!

Referências
FESTIVAL DAS CATARATAS. Saiba quais foram os melhores trabalhos do 12º Fórum Internacional de Turismo do Iguassu. 2018. Disponível em <http://festivaldeturismodascataratas.com/saiba-quais-foram-os-melhores-trabalhos-do-12o-forum-internacional-de-turismo-do-iguassu/> Acesso em: 25 jun. 2018.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nicarágua, um paraíso natural

ORIGEM DO NOME, Nicarágua A origem do nome é incerta, já que o país não conta com um registro indígena, podendo-se recorrer somente às crônicas dos primeiros espanhóis. Nessas crônicas fala-se sobre o povo náhuatl que viviam entre o grande lago (chamado de Nicarágua posteriormente) e o Oceano Pacífico; a esta terra eles davam o nome de nic–atl-nahauc que significa "aqui junto a água".



LOCALIZAÇÃO A Nicarágua é um país da América Central, limitado ao norte pelo Golfo de Fonseca (através do qual faz fronteira com El Salvador), Honduras, a leste pelo Mar das Caraíbas, através do qual faz fronteira com o território colombiano de San Andrés e Providencia, a sul com a Costa Rica e a oeste com o Oceano Pacífico. Sua capital é Manágua. TOP 8 CURIOSIDADES -1ª Que futebol que nada! O esporte mais popular da Nicarágua é o beisebol. -2º A bebida típica é o pinolillo, uma bebida feita com milho, cacau, canela e outros ingredientes - 3º No total, a Nicarágua possui nove grandes lagos. Não é sem …

O que fazer depois que acabar a faculdade? Bacharel em Turismo

Após os três, quatro ou cinco anos de faculdade é natural que muitos ainda se perguntem o que vão fazer depois da faculdade, essa pergunta não é privilégio apenas dos futuros turismólogos, muitos e muitos outros futuros profissionais se fazem o mesmo questionamento. Mas falando dos futuros turismólogos, ao longo do curso a grade oferece uma serie de conhecimentos multidisciplinares que possuem o intuito de capacitar o profissional para os diversos meios de atuação do turismólogo. Mas a problemática se insere neste contexto. Algumas profissões como, por exemplo, licenciatura em Matemática, ou você ministra aulas ou vira pesquisador, são apenas duas opções (ou mais), de certa forma fica mais fácil de decidir, assim como biomedicina, ou você trabalha em um laboratório de analises clinicas, ou se torna professor ou se torna pesquisador. Já no turismo a realidade é inversa, em síntese temos os seguintes campos de atuação, cruzeiros, agencias de viagens, docente, poder publico, eventos, hotela…

O Folclore e o Turismo

Mas o que significa e o que é Folclore? Folclore é o conjunto de crenças, superstições, lendas, festas e costumes de um povo passado de geração em geração. A palavra Folclore vem do inglês pela junção das palavras folk (povo) e lore(sabedoria popular) significando sabedoria do povo. O Folclore no Brasil só começou a receber atenção da elite na metade do século XIX, durante o Romantismo. Naquela época, a cultura popular crescia na Europa e Estados Unidos e, baseados nesse interesse, estudiosos brasileiros como Celso de Magalhães e Sílvio Romero pesquisaram as manifestações folclóricas nativas e publicaram estudos. (FOLCLORE, 2010) Você sabia que o Folclore é protegido por lei? Isso mesmo, de acordo com a Constituição Federal de 1988, nos artigos 216 e 215, que relatam sobre o patrimônio cultural brasileiro: “os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasilei…