Pular para o conteúdo principal

O tão sonhado Intercambio!

Sejamos sinceros, nem sempre acreditar nos trará aquilo o que queremos, é necessário fazer! Mas mesmo quando fazemos, fazemos e fazemos mais um pouco, acreditamos que nossas vitorias ainda levaram certo tempo ou até talvez não sejam alcançadas.
Mas vamos direto ao assunto, o tão quisto intercambio. Para muitos é algo impensável, outros sonham com ele e já outros realizam todos os anos...
No entanto, vamos falar somente dos sonhadores... Assim como eu e possivelmente você!
Sempre sonhei em sair do meu país, no inicio não tinha um destino do coração, hoje tenho um, o qual ainda não consegui :( Lamentos a parte, não importava para onde, eu queria sair do Brasil, conhecer novas culturas, lugares, pessoas, cores, sabores, cheiros... Um novo mundo.
Quando estava na Universidade, fiz de tudo para alcançar esse meu objetivo. Aprimorei meu curriculum, bem como publicando artigos, participando de empresas juniores, grupos de pesquisa, fiz iniciação cientifica e projetos extraclasse, tudo isso para me tornar diferente dos demais. E é claro que minhas notas estavam nas alturas, pois queria esse intercambio.
Na Universidade que estudo, se você tem boas notas e um curriculum bacana você pode concorrer a bolsas de intercambio. Dito isso, vai meu primeiro recado... STOP! Isso mesmo “PARE” de dar tiros para todos os lados. Saiba quais são os caminhos para atingir os seus sonhos e concentre-se neles.
Sabendo disso, continuei minha vida pacata de estudos, trabalhos, artigos, estudos, trabalhos e mais artigos... E é claro que tentava os editais de intercambio.
Com mil e setecentos documentos para serem enviados por edital, tive certa preguiça de concorrer para muitos. Em fato concorri para dois. O primeiro foi para Santiago de Compostela na Espanha, o qual fracassei...
Fiquei triste uns dias, mas depois entendi que não era minha hora, uma pelo fato de que eu estava no 1º ano da Faculdade, segundo por eu ter 17 anos e terceiro pelo fato de que eu não era tão maduro quanto hoje.
Na segunda tentativa só mandei os documentos, pois era minha segunda e ultima chance. Quando se está no terceiro ano de um curso que vai somente até o quarto, as universidades estrangeiras te recusaram no seu ultimo ano.
Como ia dizendo eu mandei e continuei fazendo as minhas coisas. Até que quase 2 meses recebi um e-mail dizendo que eu tinha sido aprovado. Porém, eu havia colocado 3 universidades, duas na Espanha e só porque foi necessário a ultima opção na Hungria. Mas adivinha onde fui aprovado?
Sim, na Hungria, um país que eu pouco conhecia e de verdade, nem de sua localização eu tinha conhecimento. E o problema principal foi que eu não falava inglês.
Mas estava feito, me vi indo a embaixada húngara para dar entrada no visto, depois estava eu aos prantos no aeroporto de Guarulhos despedindo da minha família e quando acordei estava eu pisando em solo húngaro.
Cidadela- Budapeste/ Humgria
Historias a parte. Quero dizer que não desenhei isso para minha vida, quisera eu imaginar isso um dia. Mas aqui estou, há 7 meses, aprendi inglês, já conheço quase toda Europa, tenho vários amigos de diversos países, aprendi muito na Universidade daqui e em breve volto para o solo brasileiro.
Assim como ocorreu comigo, tente entender, seus planos podem mudar a sua vida pode lhe dar outros caminhos e o fato de os caminhos terem se alterado não significa que foi para pior...
Trabalhe duro para conquistar o que sonha, saiba seus caminhos, não se decepcione com os fracassos no meio do caminho, MAS, acima de tudo, esteja aberto a largar tudo e abraça o que a vida lhe oferece!

#EstejaAbertoAMudanças

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nicarágua, um paraíso natural

ORIGEM DO NOME, Nicarágua A origem do nome é incerta, já que o país não conta com um registro indígena, podendo-se recorrer somente às crônicas dos primeiros espanhóis. Nessas crônicas fala-se sobre o povo náhuatl que viviam entre o grande lago (chamado de Nicarágua posteriormente) e o Oceano Pacífico; a esta terra eles davam o nome de nic–atl-nahauc que significa "aqui junto a água".



LOCALIZAÇÃO A Nicarágua é um país da América Central, limitado ao norte pelo Golfo de Fonseca (através do qual faz fronteira com El Salvador), Honduras, a leste pelo Mar das Caraíbas, através do qual faz fronteira com o território colombiano de San Andrés e Providencia, a sul com a Costa Rica e a oeste com o Oceano Pacífico. Sua capital é Manágua. TOP 8 CURIOSIDADES -1ª Que futebol que nada! O esporte mais popular da Nicarágua é o beisebol. -2º A bebida típica é o pinolillo, uma bebida feita com milho, cacau, canela e outros ingredientes - 3º No total, a Nicarágua possui nove grandes lagos. Não é sem …

O que fazer depois que acabar a faculdade? Bacharel em Turismo

Após os três, quatro ou cinco anos de faculdade é natural que muitos ainda se perguntem o que vão fazer depois da faculdade, essa pergunta não é privilégio apenas dos futuros turismólogos, muitos e muitos outros futuros profissionais se fazem o mesmo questionamento. Mas falando dos futuros turismólogos, ao longo do curso a grade oferece uma serie de conhecimentos multidisciplinares que possuem o intuito de capacitar o profissional para os diversos meios de atuação do turismólogo. Mas a problemática se insere neste contexto. Algumas profissões como, por exemplo, licenciatura em Matemática, ou você ministra aulas ou vira pesquisador, são apenas duas opções (ou mais), de certa forma fica mais fácil de decidir, assim como biomedicina, ou você trabalha em um laboratório de analises clinicas, ou se torna professor ou se torna pesquisador. Já no turismo a realidade é inversa, em síntese temos os seguintes campos de atuação, cruzeiros, agencias de viagens, docente, poder publico, eventos, hotela…

O Folclore e o Turismo

Mas o que significa e o que é Folclore? Folclore é o conjunto de crenças, superstições, lendas, festas e costumes de um povo passado de geração em geração. A palavra Folclore vem do inglês pela junção das palavras folk (povo) e lore(sabedoria popular) significando sabedoria do povo. O Folclore no Brasil só começou a receber atenção da elite na metade do século XIX, durante o Romantismo. Naquela época, a cultura popular crescia na Europa e Estados Unidos e, baseados nesse interesse, estudiosos brasileiros como Celso de Magalhães e Sílvio Romero pesquisaram as manifestações folclóricas nativas e publicaram estudos. (FOLCLORE, 2010) Você sabia que o Folclore é protegido por lei? Isso mesmo, de acordo com a Constituição Federal de 1988, nos artigos 216 e 215, que relatam sobre o patrimônio cultural brasileiro: “os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasilei…