sexta-feira, 25 de março de 2016

Viajar na Crise

Com o dólar alto, um número significativo de desempregos em todo o território nacional e outros inúmeros fatores econômicos torna-se dificil viajar para fora do país e ainda mais para o exterior. Mas por conta disso devemos deixar de viajar ou sonhar com aquele destino que não sai do nosso coração?
A resposta é simples, temos que alterar o modo pelo qual realizamos nossas viagens. Talvez planejar de ultima hora, realizar poucas pesquisas e desejar destinos massificados não seja a melhor escolha para este momento.
Entretanto, escolher destinos mais alternativos, sem ser aqueles que todos querem conhecer, seja o primeiro passo para viajar na crise, pois um destino alternativo detém passagens aéreas ou rodoviárias mais em conta. Para driblar a crise, enquanto meio de transporte, basta escolher com antecedência e monitorar os sites das companhias aéreas para encontrar o menor preço, mas como já dito, isso deve ser feito meses antes da viagem para garantir ótimos preços.
Viajar em grupos pode ser uma alternativa viável para dividir as despesas com combustível ou transporte. Mas, viajar sozinho também pode te garantir inúmeros outros cortes no orçamento da sua viagem, pois viajando sozinho ou com mais uma ou duas pessoas, você pode usar e abusar dos solidários viajantes que oferecem caronas.
Já quando falamos em hospedagem é fato que ela é o segundo maior gasto de uma viagem, atrás somente dos transportes, esta por sua vez pode ser driblada por hospedagens alternativas, bem como os hostels, conhecidos também como albergues, que oferecem comodidade por um preço acessível, mas com algumas restrições de privacidade. Outra opção são as hospedagens solidárias, que são pessoas que abrem suas casas para viajantes.
Existem inúmeras dicas para viajar com baixo custo, mas o essencial é planejar com antecedência, pois assim as adversidades tornam-se menores.


Artigo publicado no Jornal O Registro: https://issuu.com/jornaloregistro/docs/360